Plágio: Adele repete Peggy Lee 70 anos depois

Million Years Ago, sucesso da inglesa Adele (que a compôs com o produtor Greg Kurstin) é plágio de Mulheres sucesso de Martinho da Vila, assinado por Toninho Geraes? Pode até ser coincidência, mas as melodias são idênticas. Esta história de plágio é uma via de duas mãos, na qual compositores trafegam há muitas décadas. O primeiro processo de plágio internacional rumoroso no Brasil, aconteceu em 1951, quando Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga processaram os americanos Harold Stevens, Irving Taylor. Os dois assinam uma canção intitulada Wandering Swallow, sucesso com Peggy Lee, e uma óbvia apropriação de Juazeiro, baião de 1946.

 Muitas vezes autores deixam rolar, sem estresse. Assim agiu Gilberto Gil com o plágio do grupo inglês Bow Ow Ow, que, em 1980, plagiou Aquele Abraço (de 1969), rebatizado de Hello Hello Daddy (I’ll Sacrifice), assinado por Dave Barbarossa, Leroy Gorman, Malcolm McLaren e Matthew Ashman. Realmente não valia à pena com o Bow Ow Ow a música passou despercebida.

Já Caetano Veloso foi em cima de Jimmy Fontana e seu parceiro Franco Migliacci, que copiaram London London, e a apresentaram no Festival de San Remo com o título de Che Sarà, em 1971 (London London é de1970). A melodia é rigorosamente a mesma. Ironicamente. No Brasil, o plágio fez mais sucesso do que London London, na versão em português (de Sebastião Ferreira da Silva) cantada por Altemar Dutra.

A célebre frase de Sinhô (1888/1930), “música é feito passarinho é de quem pegar primeiro”, foi ação recorrente na música popular até tempos recentes, e continua acontecendo como neste episódio que envolve Adele. Por vezes copia-se a melodia inteira, noutras, trechos.

 Roberto e Erasmo assinam várias canções com similares gringos, com sutis diferenças, como é o caso de É Meu, É Meu, É Meu, que comunga de semelhanças com Um Mondo d’Amore, de Gianni Morandi, de 1967 (a de Carlos/Carlos é de 1968). Já Preciso te Encontrar, de 1970 é, muito parecida com The Days of Pearly Spencer (1967), do irlandês David McWilliams, que passou despercebida, no Reino Unido quando foi lançada. As coincidências musicais da dupla Roberto & Erasmo estão em vários canais no Youtube. Mas Tim Maia e Raul Seixas também pensavam como Sinhô. Do primeiro basta escutar a coincidência entre Sossego (1978), e bootleg (1965), da Booker T and The MGs. Do segundo, comparem Killer Diller, de Jimmy Greedlove, de 1958, com rock das Aranhas, parceria do Maluco Beleza com Cláudio Roberto, lançada em1980.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: