Músicos afegãos silenciam os instrumentos

Há uma parcela de afegãos para a qual a reconquista do país pelo Talibã é a volta de um pesadelo. Os músicos em geral e, em particular, os que tocam em bandas de rock. No domínio anterior do Talibã, iniciado em 1996, baniu-se qualquer música que não fosse feita para elogiar o governo ou de louvores a Alá. O rock, claro, não apenas foi proibido, como os músicos tiveram equipamentos destruídos, e muitos foram presos. A posse de uma fita cassete era motivo para prisão.

Há vinte anos, com a derrota do Talibã, a música popular, e a erudita, do Afeganistão floresceu rapidamente. Primeira banda indie afegã, a Kabul Dream, fundada em 2008, quando o país vivia tempos de liberdade, embora bem sucedida no país, e reconhecida no exterior, sofria tantas ameaças de simpatizantes do Talibã, que seus três músicos refugiaram-se nos Estados Unidos em 2013. Como o governo ainda está se definindo, o tema música por enquanto não entrou na pauta oficial, mas o futuro não é nada promissor, Zabihullah Mujahid, porta voz do Talibã afirmou ao New York Times que música pública é proibida pelas leis do Islam, mas sinalizou para ações menos severas, dizendo que o o governo quer persuadir os músicos a se conscientizarem do que podem e não podem fazer, sem que seja preciso repressão.

Mas já há banimento de música nas províncias de Zabul e Kandahar, no Sul do país, provavelmente por ordens de dirigentes locais. Enquanto isso não se escuta música em Cabul, as casas onde tocavam grupos e intérpretes estão de portas fechadas. Instrumentos escondidos, e vozes silenciadas Entre os mais visados pelo Talibã está o grupo de heavy metal Rig Veda, cujos integrantes já estariam na lista dos que serão eliminados. O Rig Veda é considerado satanista pelo Talibã. A associação Metalheads for Humanity abriu uma conta para reunir fundos a fim de alugar um avião para tirar os integrantes do Rig Veda, e outros músicos, do Afeganistão.

Uma das mais populares cantoras pop do país, também celebridade de TV. Aryana Sayeed, e o marido Hasib Sayed, músico e produtor, fugiram quando as tropas dos Estados Unidos deixaram o Afeganistão. Conseguiram entrar no aeroporto de Cabul e embarcar num avião militar americano, que os deixou no Qatar. Quatro dias depois chegaram aos Estados Unidos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: