Brasileira e norueguês num rock retrô que vai além da nostalgia

Bandas retrôs existem aos montes, poucas escapam da caricatura ou do pastiche, a The Courettes (às vezes com um “Fabulous” no nome) é uma exceção.  Até no visual o duo Flavia Couri e Martin Couri parece que atravessou o túnel do tempo. Flávia é brasileira, integrou, no Brasil, o Doidivinas, e Os Autoramas. Foi numa turnê com os Autoramas que conheceu o baterista dinamarquês Martin, Ela foi morar com ele na Dinamarca e, em 2015, formaram o duo The Courettes, com uma ascensão meteórica, na Europa, para um grupo de rock retro.

Back to Mono é o título de uma caixa com uma retrospectiva da obra produzida por Phil Spector, lançada há 30 anos. Back in Mono  se encaixa como uma luva na música da dupla. O disco têm faixas que não apenas emulam os grupos de garotas que Spector produzia, The Shangri-Las, The Ronnetes, The Crystals, soam mais como uma gravação perdida dessa época. É Irônico que Flavia e Martin tragam Phil Spector de volta exatamente quando ele demonizado pelos excessos de seu wall of sound, o paredão sonoro que davam um clima épico à canções juvenis.I Want! Like a Cigarette tem todos os elementos da música que se fazia por volta de 1964. A bateria de Martim na câmera de eco é, como se diz, a cereja do bolo. As Shangri-Las não teriam feito melhor.

Mas não é apenas Phil Spector que permeia o ábum.  A faixa Hop the Twig Flávia consegue emular o som de um dos grandes do instrumental dos anos 6o, Duane Eddy, uma lenda da guitarra. Os dois conseguem reunir ene informações de uma fase antológica do pop, dominado pelos grupos vocais femininos, quase todos formado por negras, que influenciaram as bandas inglesas que, ironicamente, escanteariam esses grupo das paradas americanas. Os Beatles gravaram alguns hits dos grupos femininos. Baby it’s You (Burt Bacharach) foi um sucesso com as Shirelles, em 1961. Por sinal, The Courettes faz uma homenagem a Ringo Starr, na faixa R.I.N.G.O.  Em algumas faixas se aproximam do psicho-a-billy de The Cramps, com Flávia Couri com timbre vocal que lembra Suzie Quatro (em Trash Can Honey).

The Courettes não é apenas uma banda, muito boa, retro, é um conceito. Suas roupas, capas de disco, são tão bem elaboradas, que levam os admiradores a querer possuir o álbum físico, em vinil,  porque o conceito se dilui nas plataformas de stream. Por ser formado por um casal, o duo é comparado ao White Stripes, o que não lhes agrada. Na verdade, são o inverso do Jack e Meg White. Enquanto ele era o faz tudo no White Stripes, ela tocava bateria, mas quase como mera figuração. Em The Courettes, Flavia é compositora, cantora e guitarrista. Curioso é que o produtor de The Courettes é o inglês Liam Watson, que produziu o premiado álbum Elephant (2004) do White Stripes. Há coincidências entre ambos os duos, e uma diferença fundamental, o casal White se leva demasiadamente a sério, enquanto os Couri querem é se divertir, e divertir o distinto público.       

2 comentários em “Brasileira e norueguês num rock retrô que vai além da nostalgia

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: