Fagner e Elba Ramalho num tributo a Gonzagão

Lançado em 10 de dezembro, Festa, de Fagner e Elba Ramalho (inaugurando o selo Sound Track) chega qo público a tempo de celebrar o aniversário de 109 anos de nascimento de Luiz Gonzaga. Poucos artistas estão mais à vontade para reinterpretar Gonzagão do que Elba e Fagner, que várias vezes dividiram palco com ele. Fagner, em 1988, gravou com seu Luiz o álbum ABC do Sertão. Elba, por sua vez, além de ter feito participações em discos de Lua, em 2002, dedicou um LP inteiro às canções pinçadas do caudaloso repertório dele, o álbum Elba Canta Luiz, que tem o título tão óbvio quanto o repertório deste Festa.

Mas propositalmente óbvio, e centrado nos sucessos da década de 80, fase final de Luiz Gonzaga. Das 12 faixas do disco, produzido por Zé Américo, sete são dos anos 80, uma delas, do álbum saído no ano da morte do Rei do Baião, 1989, Vou te Matar de Cheiro, que dá nome ao disco de Lua. Elba e Fagner chamam atenção para este detalhe na carreira de Lua, debilitado, na Copacabana, gravadora de menor fôlego do que a RCA, pela qual a quase totalidade de sua discografia, só a morte interrompeu que continuasse a colecionar sucessos.

A intenção, confessam os artistas, era mesmo um disco que fizesse jus ao título, Festa, também o maracatu de Gonzaguinha, que Gonzagão gravou m 1968. “Belo é o Recife pegando fogo/na pisada do maracatu”, versos de Festa, aqui incrementada por alfaias gravadas no Estúdio Luni, no Recife, tocadas por Tostão Queiroga e Amendoim. As vozes foram gravadas no Rio, no Gigante de Pedra, estúdio de Elba Ramalho, no Joá, entre julho e agosto de 2021.  

As músicas dos anos 80 aconteceram quando houve uma retomada do forró no Nordeste,  com um sabor mais pop, abordando temas da época, feito Deixa a Tanga Voar, da era João Silva, o maior parceiro de Gonzagão, em quantidade de músicas gravadas. Os temas das composições de João em sua grande maioria tendem ao lúdico, ao bom humor, como Danado de Bom. Curiosamente, com uma maioria de canções apropriada à dança, Fagner e Elba Ramalho imprimem uma interpretação mais contida, um pouco menos no arrasta-pé Quero te Matar de Cheiro.

Sem novidades no repertório, e com arranjos e interpretações corretas de duas das principais vozes da MPB, dá a impressão de que Festa é o pretexto para a turnê que Fagner e Elba Ramalho empreendem juntos em 2022, cantando Gonzagão país afora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: