Cuscuz virou hype e tem seu dia celebrado

De repente o cuscuz caiu no hype. Cair no hype é mais ou menos como cair na moda, só que não é trend. Ser trend é mais ou menos como cair na moda, só que é o delinear de uma tendência que pode, ou não, vir a se configurar. O cuscuz não é trend, mas é hype. Está o tempo todo no instagram, que é uma mídia social mais habitada por uma fauna jovem, a que descobriu os prazeres desse manjar. Se brincar já postam mais fotos de cuscuz do que de gato.
A valorização do cuscuz prova que tudo que existe sobre a Terra tem sua vez, conforme garante a Bíblia no livro do Eclesiastes, acho, que entendo pouco do Santo Livro. Sou de um tempo que cuscuz não era lanche. Comia-se  pra matar a fome, diariamente,  não raro, de manhã, de tarde e de noite. Nem sempre com um complemento amaciador, que cuscuz a seco é danado pra engasgar
Lá pros anos 60, o americano, tentando evitar que o comunismo tomasse de conta do Nordeste, passou a distribuir comida pro pessoal da região através de um programa chamado Aliança Para O Progresso. Distribuíam leite em pó, farinha de trigo, óleo de cozinhar e fubá, que hoje tratam por farinha, ou sêmola, de milho. E haja cuscuz. O bicho, concordo com os muderninhos, é bom, porém, uma vez ou outra.  Todo dia, só entra porque a fome obriga.
E naquela época o nordestino era mais carente, de maneira que  se lixou pro boato,  espalhado pelos comunistas, de que a comida dada pelo americano fazia o homem broxar. A fome era mais forte. Ninguém recusava a comida do americano, e ia pra fila da distribuição a parentada inteira. E se provou que a comida não era broxante, porque o que nunca faltou no Nordeste foi menino novo.
O hype do cuscuz é facilmente constatado no google, onde se aprende que o cuscuz é um prato berbere procedente do Magrebe, o que leva à pessoa a consultar o google pra saber o que goitana é berbere e Magrebe. O cuscuz faz parte da nossa ancestralidade africana.
Eu não sei preparar cuscuz. Mas porque não me interesso. No Google vários chefs ensinam como se faz a iguaria do hype. Inclusive, o que é essencial, com o quê ele se harmoniza. Um chef postou um passo a passo do cuscuz. Logo de início, alerta que o que não pode faltar é uma cuscuzeira, o primeiro passo pro cuscuz. Cuscuzeira tem cá em casa, o primeiro passo está, pois dado. Qualquer dia desses dou o segundo, até chegar à iguaria propriamente dita. Só assim vou saber qual o aroma de cuscuz queimado.

 Esta conversa mole toda porque soube, pelo instagram de uma amiga, que neste 19 de março é o Dia Internacional do Cuscuz.


 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: