Lucas Crasto lança álbum cuja temática são as idas e vindas do amor

Lucas Crasto aterrissa nesta quarta-feira, 23 de março, nas plataformas de música para streaming com o álbum A Melodia Que Se Parece Com Você. Crasto, que vem de uma família de músicos, levou seis anos para finalizar o álbum, gravado com Romero Medeiros (pianos, orgãos e synths), Lucas Araújo (bateria) e Thiago Rad (guitarra), gravado no Estúdio Casona. Contrabaixista, Lucas Crasto. A demora deveu-se a vários fatores, o principal deles a insatisfação com o resultado inicial. Fez outra mixagem, realizou mais investimentos nas gravações, acabou engavetando o projeto. Quando achou que chegara ao momento certo resolveu lançar o álbum. O disco foi captado em cinco dias. Um dia para cada instrumento, e o último para voz. Perfeccionista Lucas Crasto gravou cada faixa com um baixo diferente, acentuando as diferenças de timbres. O contrabaixo que utilizou em Amor Colorido foi construído há cem anos.

A Melodia Que Se Parece Com Você como título dá a pista: as canções têm um viés romântico, que é um termo que tem também vieses, um desses é eufemismo empregado pelos intérpretes bregas, que não assumem o estilo. No caso do disco de Lucas Crasto, ele traz rock baladas que falam das idas e vindas do amor, o seu cotidiano, mas sem obviedades, arranjos engenhosos, e interpretados com imersão na canção. Uma faixa que exemplifica o comentário é Vou Deixar Você Dormindo, em que os synths dão um clima diferente à música.

A canção que dá nome ao disco vale-se de uma sequencia de acordes típica das baladas dos anos 60, uma canção radiofônica, assim como várias no álbum, dessas músicas que se toca no rádio é daquelas que pega o caro ouvinte na primeira audição (admitindo-se que as rádios, com as exceções, ainda prezassem pela qualidade). É o caso de Saudade, uma canção de melodia bonita, com uma letra compatível, uma tresloucada declaração de amor.

Lucas Crasto montou o repertório com composições autorais, cinco assinadas apenas por ele, as demais em parcerias. Com André Macambira (Terra Mãe, Pra Voar num Balão), Cláudio Noah (Vou Deixar Você Dormindo, e Vendaval). Por sua vez, Cláudio Noah r Jailson Marroquim são os compositores de Água Fresca. O conjunto das canções tem de certa forma, semelhança com um estilo que vem se tornando característico da música recente do Recife/Olinda, uma MPB com melodias bem estruturadas e que passa por longe das redundâncias que dominam o mercado, e não enfatiza regionalismo. Lucas Castro se vale mais de guitarras, mas sem zoeira, lembra vagamente Guilherme Arantes na sua melhor fase, no final dos anos 70, porém com sonoridade contemporânea. Há elementos de jazz também neste caldeirão sonoro, como acontece em Terra Mar, cujo tema é a natureza. É um disco de estreia, mas de um já veterano, que sabe que caminhos trilhar com suas canções.

Lucas Participou de uma infinidade de trabalhos de terceiros, Raimundo Sodré, Lucinda, Emílio Santiago, Zeh Rocha, Israel Filho, Luciano Magno, André Rio, Fagner, Fafá de Belém, João Silva, são alguns desses. Integrou o trio de jazz Rivotril, com o saxofonista Junior Crato e o percussionista Lucas dos Prazeres, com o qual também toca na Orquestra dos Prazeres. Como produtor Crasto assina discos de Vinicius Barros, Victor Camarote, ou Orquestra Latino Olindense.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: