Marina de La Riva com viés para suas origens cubanas no álbum Raices Compartidas

Desde o primeiro álbum, de 2007, Marina de La Riva mescla repertórios com canções em português e espanhol. A cantora carioca, de pai cubano e mãe mineira, lançou o quinto disco no final da semana passada, Raices Compartidas que teve como primeiro single o clássico latino Cachito (Consuelo Velázquez), lançada em 1958 pela espanhola Gloria Lasso, e popularizada mundo afora por Nat King Cole. No Brasil entre 1957 e 59, a música caiu no gosto do povo, e teve dezenas de versões, Emilinha, The Snakes e a nipo-brasileira Yoko Abe, e muita gente, gravaram Cachito. Em Raices Compartidas, Ney Matogrosso é o convidado de Marina de La Riva em Cachito. Não poderia ter escolhido intérprete mais apropriado. Sangue Latino foi um dos primeiros sucessos de Ney, com os Secos & Molhados, e ele ao longo da carreira acrescentando canções em espanhol aos seus discos.

Raices Compartidas, no entanto, é um álbum quase todo em espanhol, até Ai, Ai, Ai, Ai, Ai (Ivan Lins/Vitor Martins), lançada por Simone, em 1991, tem versões em português e espanhol. A canção autoral do álbum, Y Que Sabes Tu? Tem letra em espanhol, e versos confessionais: Que sabes tu de mis dolores/que sabes tu de mi soledad/ de los dias que me quedo/mirando hacia el mar

 Marina emprega artifícios que tornam o disco diferente. Ao interpretar, por exemplo, Besame Mucho (mais uma de Consuelo Velázquez) presta homenagem a João Gilberto (que a gravou), tirando-lhe a roupagem original de bolero. Com o violão de Torcuato Mariano e orquestra dá-lhe um tratamento de bossa nova, mas com leve balanço cubano.

Enquanto isso na bossa nova Influência do Jazz, de Carlos Lyra, uma crítica à jazzificação da BN e seus trios de samba jazz, que foram defenestrados por João Gilberto, em 1966, numa polêmica entrevista, em que poupou pouca gente da MPB (uma das exceções foi Jackson do Pandeiro). Marina de La Riva leva o jazz com suingue cubano a Influência do jazz, subvertendo a ideia inicial da composição. Ela volta a  gravar autores cubanos, La Gloria Eres Tu (Méndez), canção dos anos 40, a mais recente Humo de Tabaco, com interpretações cubanas;

Raices Compartidas foi gravado em Los Angeles, no East West Studio, um local histórico, foi ali que Tom Jobim gravou com Frank Sinatra 55 anos atrás. L.A é uma das cidades americanas onde é grande a disponibilidade de escolados e calejados músicos de estúdio. Marina de La Riva, produzida por Moogie Canasio, canta acompanhada por nomes feito Vinnie Colaiuta (Frank Zappa, Sting e Joni Mitchell), o citado argentino Torcuato Mariano, o cubano Carlito del Puerto, ou os brasileiros Jessé Sadoc e Rafael Rocha.

Uma das melhores vozes de sua geração (a que começou na primeira década deste século), Marina de La Riva estreou bem com premiação pela APCA, Prêmio Tim. Esteve em seguida meio low profile, mas tem tudo para voltar aos holofotes com este que é um dos seus melhores, senão melhor, disco.    

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: