A geração dos anos 60 entra nos 80 de idade com a carga toda

Dias atrás, Willie Nelson lançou disco novo, A Beautiful Time. Ele está com 89 anos, há 60 iniciou sua extensa discografia com o álbum… And Then I Wrote. Em 2021, Tony Bennett, mesmo acometido de Alzheimer, gravou, com Lady Gaga, o álbum Love for Sale. Estava com 95 anos. O blueseiro inglês John Mayall, também com 89 anos, lançou neste ano de 2022, seus 60º álbum, The Sun Shining Down. Tom Zé está com disco engatihado pra junho, completa 86 em 11 de outubro.

Quer dizer, muita gente da turma dos anos 60, já está entrou ou está rumando pros 90 de idade, mas a chegada aos 80 ainda é celebrada como aniversário simbólico. O que é natural, porque até cerca 30 anos, imaginava-se que depois dos 70 o artista começava a pensar botar a viola no saco. O ano de 1962 é emblemático para a década mais badalada do século 20. Foi quando na Inglaterra The Beatles gravou o primeiro compacto, e os Rolling Stones davam os primeiros passos. Cá no Brasil, Gilberto Gil inaugurou sua discografia também com um compacto, ainda morando em Salvador.

 Em 2022, Gil inteira 80 anos (em junho), assim como Caetano Veloso, Paulinho da Viola, Milton Nascimento. Chico Buarque daqui a dois anos, e Edu Lobo ano que vem, viram oitentões. Jimi Hendrix que epitomizou a psicodelia dos anos 60 (embora detestasse que chamassem sua música de psicodélica) entraria nos 80 em novembro. Cely Campello, o brotinho do rock and roll nacional de final dos anos 50, quem diria, faria 80 anos em 18 de junho. Seu irmão, outro pioneiro do gênero no Brasil completou 86 anos em fevereiro. Já Carlos Gonzaga, que tornou versões de rock americano em standards da música brasileira, Oh Carol, Diana, está a dois anos de se tornar centenário (e ainda há quem chame rock de música jovem). Ano que vem, em fevereiro, Reginaldo Rossi completaria 80 anos.

Pelo pique desse pessoal, a vida recomeça aos 70. Paul McCartney está em turnê, mas para pra comemorar o aniversário, Dois dias antes, em 16 de junho, toca em New Jersey, e só volta aos palcos dia 25, no festival de Glastonbury. Provavelmente esbarrará em algum aeroporto com Bob Dylan, que também está em turnê pelos EUA, e deve comemorar os 81 anos (em 24 de maio), na estrada.

Ilustra a postagem a logomarca dos 80 anos de Gilberto Gil, assinada por Daniel Kondo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: