Paul McCartney: “O Rolling Stones é uma banda cover de blues”, e alfinetadas variadas

O bate-boca Anitta versus sertanejos é uma exceção à regra do bom mocismo que impera na música brasileira. Artista elogiando artistas de um estilo que ele jamais escuta em casa. Lá fora, o pessoal não é de passar mão na cabeça de gente de que não se agrada, ou praticar hipocrisia, elogiando o que acha que não deve ser elogiado.

Numa recente entrevista à revista New Yorker, Paul McCartney deve ter chateado os velhos amigos do Rolling Stones, com o comentário que fez sobre a banda: “Não sei se deveria dizer, mas eles (os Stones) são uma banda cover de blues. São mais ou menos isto os Stones. Acho que nós (os Beatles) tínhamos horizontes mais amplos do que os deles”.

Etta James (1938/2012) foi uma das grandes vozes da música popular americana do século 20 (influência forte em Janis Joplin). At Last (Harry Waren/Mack Gordon), gravada em 1961, foi seu maior sucesso (a música lançada originalmente, em 1942, pela orquestra de Glenn Miller). Canção obrigatória em seu repertório de palco.

Em 2008, na festa de posse de Barrack Obama, quis escutar At Last, mas não convidou Etta James. Quem cantou a música foi Beyoncé. Etta subiu nos tamancos. Dias depois, numa apresentação em Seattle, ela comentou sobre a interpretação presidencial de Beyoncé: “Digo a vocês, aquela mulher que convidada pra cantar pra ele, cantando minha canção, deveria levar umas chicotadas na bunda. Não suporto Beyoncé, ela não tinha nada que estar ali, cantando a música que eu canto por uma eternidade”. Depois Etta tentou dar uma amaciada, dizendo que gostava de Beyoncé mas, arrematou, que cantava At Last melhor que ela.

George Harrison carregou pelo resto da vida o estereótipo de “O Beatle Tranquilo”, sem que fosse exatamente isto. Em 1965, ele emplacou duas composições no repertório do álbum Rubber Soul, Think for Yourself e If I Needed Someone, a única canção dele que os Beatles tocaram ao vivo. Mal o disco foi lançado, The Hollies gravou uma versão de If I Needed Someone. Foi com The Hollies que George Harrison conseguiu chegar às paradas inglesas e americanas. E não gostou. E disse em público o que achou da regravação de sua canção: “Acho que a versão de The Hollies para a minha composição If I Needed Someone é uma porcaria. Estragaram a música. Os Hollies são musicalmente legais, mas a maneira como eles gravam suas músicas soa como se fossem músicos de estúdios que se reúnem se nunca ter se encontrado antes”. Claro, deixou os integrantes dos Hollies arrasados. Graham Nash (depois do Crosby, Stills & Nash) até hoje guarda a mágoa de Harrison.

Caso parecido aconteceu com a gravação, no final de 1989, de Nothing Compares 2 You, por Sinnead O’Connor. Foi o maior sucesso da cantora, e o primeiro megahit da década de 90. A canção fez muito mais sucesso com Sinnead O’Connor do que com Prince, que gravou a música em seu álbum de estreia, de 1985. Ela aceitou um convite de ir a casa dele em Hollywood. Revelou que Prince quis pegá-la à força, acabaram engalfinhando-se ele bateu nela, ela bateu nele: “Trocamos uns golpes. Tudo o que eu fazia era cuspir nele. Cuspi um bocado no cara”, contou Sinnead.  Prince queixou-se num show, quando sua composição fazia sucesso na voz da irlandesa: “Muitas vezes as pessoas pensam que estou cantando uma música de Sinnead O’Connor, e fui eu que compus”.

Fonte – médium.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: