Bruna Nascimento estreia solo com o EP Desamarração, pelo selo YB Music

É tanto disco, single, aterrissando nos meus e-mails, que passo batido. Foi o que aconteceu com o EP, de Bruna Nascimento, que é pernambucana, do Recife, foi levada pela mãe para São Paulo quando estava com três meses. Sua história é na base do “levanta sacode a poeira, dá a volta por cima” ou, como dizem agora, resiliência. A biografia resumida de Bruna está em postagens feitas por ela no instagram (@brunart).

O EP, com selo da YB Music,  é o primeiro solo de Bruna, Desamarração, o título (lançou um EP, em 2021, com Gui Felberg). Ela foi produzida por Luizão Pereira, que também toca vários instrumentos no disco e faz  as programações, formou uma  banda com Caio Oliveira (bateria e percussão), e Ícaro Santiago (Piano Rhodes), Nahor Gomes (trompete e flugelhorn). As gravações aconteceram nos estúdios Fstim e Oliveira (Salvador), Beco (Recife), e ArtStudio Avaré (SP).

O EP traz cinco faixas, na maioria das quais se aplica a tendência da suavidade, que tem rolado em muitos discos lançados nesses últimos três anos, provavelmente efeito da pandemia, que levou a reflexões, confidências, intimismo.  Em Amarração, sambalanço que arremata o repertório, Bruna nascimento se solta mais, e mostra que sabe brincar com a voz de uma forma em que Elis foi craque

FAIXA A FAIXA

Bruna Nascimento fez uma faixa a faixa, para o site https://boomerangmusic.com.br/ , que transcrevo abaixo:

Tsunami

É uma música que fala sobre sexo de uma perspectiva muito feminina. Sou eu tratando sobre pensamentos e desejos que me ocorrem quando estou muito imersa numa relação com alguém. Acho que o que eu mais gosto é a mulher selvagem que ela retrata: ser inteira, intensa, delicada, agressiva, tudo em uma só pessoa. Acho que como mulheres a gente muitas vezes deixa nossos desejos de lado e essa música é o oposto disso! O arranjo é inspirado no carimbó e no brega paraense.

Quando se deixa

É uma canção sobre esperança. A esperança boba de que ele é um pouco fechado e quando se deixa levar… Fala sobre ter expectativas numa relação de um ponto de vista muito feminino e delicado. É uma canção sobre o amor, brinca com a idealização sobre alguém que não consegue se entregar totalmente para a relação. O arranjo é leve e retrô, trazendo um toque de rock, faz referência ao baixo inesquecível de Lou Reed.

Meu menino

 É uma balada pop com toques de bossa nova retrô. A letra romântica descreve um cafuné entre um casal, mas traz nas entrelinhas tem um significado oculto: fala sobre o carinho numa relação casual que se revela na frase ´hoje você é o meu ninho´. O arranjo leve e o timbre macio de Bruna transportam o ouvinte para um abraço aconchegante, guiado por melodias de xilofone, sopros e piano.

Não há pra que mentir

 É uma canção sobre resignação. Quando é impossível encontrar amor depois de se insistir muito, tudo se acaba numa grande tempestade. O arranjo sexy e a roupagem de reggae lento trazem uma certa calma para a composição, que tem uma letra extremamente forte. Os trompetes e flugelhorn gravados por Nahor Gomes (Jazz Sinfônica SP) dão um charme especial à faixa.

Amarração

É uma música de deboche e fecha a aventura amorosa narrada pelas músicas anteriores com muito humor. O arranjo de samba com roupagem de rock foi inspirado na canção ´Samba a Dois´ do Los Hermanos, minha banda preferida. Os trompetes também foram gravados por Nahor Gomes (Jazz Sinfônica SP).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: