Big Mama Thorton, a blueseira que levou Elvis Presley e Janis Joplin às paradas, em disco ao vivo

Elvis, o filme de Baz Uhrmann, além de motivar lançamentos e relançamentos de discos do cantor, realçou artistas que o influenciaram, também com álbuns reeditados. Se na época em que Elvis estourou houvesse a condenação do tribunal das mídias sociais por apropriação cultural, ele certamente sofreria muitas cobranças. É certo que fez sucesso com canções criadas por negros, mas também os tornou conhecidos do público consumidor branco, recheou-lhes as contas bancárias com os direitos autorais. E ainda. Não embranqueceu as músicas, feito,  por exemplo, Pat Boone, perpetrou com Tutti Frutti, de Little Richard. Elvis no início da carreira foi alvo de críticas pesadas no Sul dos EUA por se vestir e cantar feito um negro.
Uma das influências dele foi Big Mama Thornton, autora de um blues que daria a Elvis seu primeiro hit internacional, Hound Dog, em 1956. A gravação original de dela é de 1953, e alcançou o primeiro lugar no paradão de rhythm and blues da Billboard, com 1 milhão de discos vendidos.
Willie “Big Mama” Mae Thornton (de Montgomery, Alabama, 1926/1984) teve nesses dia relançado um disco que dá uma geral no seu blues visceral, Sassy Mama, Live at Rising Sun Celebrity Jazz Club (em Toronto, Canadá), com uma banda formada por craques do blues, como o guitarrista Phil Guy (irmão de Buddy, e que tocou no Recife, no projeto Oi Blues by Night, de Giovanni Papaleo).
O repertório de Sassy Mama traz clássicos feito Ball and Chain, popularizada por Janis Joplin em 1967. A música é de Big Mama Thornton, que a lançou em 1959. Janis também seria cobrada pela “apropriação”, porém ela também não embranqueceu os blues que gravou. Sassy Mama é uma ótima introdução a Big Mama Thornton, falecida de um infarto aos 58 anos. Já se encontrava bastante debilitada pelos excessos, incluindo aí o alcoolismo, ela continuava em turnês pra se sustentar. Uma situação recorrente no blues e seu filho mais novo, o rock and roll. Curioso é que a blueseira viveu 14 anos a mais do que a atriz Shonka Dukureh, que faz o papel de Big Mama Thornton, na cinebiografia de Elvis Presley, falecida nessa semana que passou, aos 44 anos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: