Dois guitarristas setentões, e importantes, que só agora lançam disco solo

Dois superguitarristas que estreiam discos solo em 2022, Jeff “Skunk” Baxter e John Scofield. Baxter, 74 anos, tornou-se conhecido pelo trabalho com o Steely Dan, uma das bandas mais cultuadas dos anos 70, e Doobie Brothers (além de participar de ene gravações com medalhões de gêneros variados (de Barbra Streisand a Ringo Starr, passando por Dolly Parton e Joni Mitchell)). John Scofield, 72, é considerado um dos grandes guitarristas contemporâneo, quase sempre no universo do jazz. O primeiro lançou o álbum Speed of Heat, o segundo, um disco que tem seu nome como título. Não é o primeiro com este nome. O outro John Scofield, porém, foi feito como trio Medeski, Martin & Wood (1998)

Jeff “Skunk” Baxter é daqueles músicos virtuosos e complexos, mas de música acessível. Speed of Heat ratifica também que ele se garante cantando neste disco em que vai do clássico instrumental Apache (Jerry Lordan, que se tornou um hit internacional do grupo inglês The Shadows, em 1960), a My Old School (Becker/Fagen, 1973), do Steely Dan. Ele incursiona por regravações como se fossem inéditas, ou surpreende a mistura um violão dobro, com gaitas de foles, sem torna a mistura esdrúxula em Ladies From Hell.

Speed of Heat tem participação de Michael McDonald (vocalista dos Doobie Brothers), do guitarrista Jonny Lang, e tem selo da BMG.

SCOFIELD

“Este disco provavelmente não teria acontecido sem a pandemia. Nunca me considerei um guitarrista solo, pelo menos de querer gravar disco solo. Até pensei nisto, mas a ideia de entrar num estúdio para gravar um disco só meu me intimidava”, comentou John Scofield numa entrevista sobre o álbum à revista JazzTimes.

Um guitarrista que não aprecia discos de guitarristas, confessa John Scofield que, em isolamento social, em casa (mora em Westchester County, a uma hora de Nova Iorque), foi impulsionado pela tecnologia, usando um Boomerang Phrase Sampler Plus e um Universal Audio Ox. O primeiro para estocar loops, sobre os quais trabalhou em cima, o segundo é um simulador de amplificador de guitarra, que também grava o que é tocado (Scofield não tem estúdio em casa).

Ele criou um número grande de temas. Tantos, que não ficou incentivado a escutá-los logo. Passou um tempo até voltar a eles. Selecionaram 13 temas, a maioria lentos, melancólicos, como a situação sanitária inspirava, em timbres quase sempre limpos, e precisos. Dois em que impressiona com solos rápidos, de puro jazz, Elder Dance e Not Fade Away, sim aquele clássico de Buddy Holly, um dos primeiros sucessos dos Rolling Stones. Um par de álbuns que é diversão garantida ou seu dinheiro de volta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: