Adorinan Barbosa ganha disco de raridades no aniversário de 40 anos de sua morte

Em novembro completaram-se 40 anos da morte de João Rubinato, o popular Adoniran Barbosa, cujos 110 anos de nascimento também deveriam ter sido mais lembrado neste 2022. Adoniran não é apenas um dos principais sambistas de São Paulo (e do país), é também o mais italiano dos sambistas paulistanos. Era filho de imigrantes italianos que aqui aportaram no final do século 19. Humorista, passava a graça para suas canções, mesmo nas mais trágicas, caso de Iracema, ou Saudosa Maloca, ambas na memória afetiva do brasileiro, até os tempos atuais obrigatória no repertório de cantores de barzinhos.

Adoniran Barbosa morreu relativamente jovem (para os padrões atuais), aos 70 anos. Marcando as quatro décadas sem o compositor, a Warner Music lançou Adoniran Barbosa – Raridades, infelizmente, uma homenagem modesta, com apenas 10 faixas. Mas vale pela seleção do repertório, com músicas pinçadas de compactos, e ou 78 rotações.

Entre as raridades, a primeira gravação de Adoniran, Agora Você Pode Chorar, de 1936. Também Nego Serafim, lado B de um compacto com Envelhecer é uma arte no lado A. Mesmo a manjada Saudosa Maloca aqui está na gravação original, de 1951. Praça da Sé, uma crônica sobre as mudanças na paisagem de São com a construção do metrô vem de um compacto de 1978. Outra que vem de um 78 rotações, de 1953, é Conselho de Mulher (com Osvaldo Molles e João Belarmino dos Santos). Bom Dia Tristeza, parceria única com Vinicius de Moraes, foi extraída de um disco de Wilson Miranda.

A maioria dos fonogramas foi gravada na Fermata, ou RGE. O repertório:

Praça da Sé (Adoniran Barbosa), 1978
Um Samba no Bixiga (Adoniran Barbosa), 1978
Bom Dia, Tristeza – com Wilson Miranda (Adoniran Barbosa/Vinicius de Moraes), do LP Relevo, de Wilson Miranda, 1978
Nós Viemos Aqui pra Quê? (Adoniran Barbosa), 1972
Acende o Candieiro (Adoniran Barbosa), 1972
Nego Serafim (Adoniran Barbosa), 1976
Saudosa Maloca (Adoniran Barbosa), 1951
Conselho de Mulher (Adoniran Barbosa/Osvaldo Molles/João Belarmino dos Santos) 1953
Samba do Arnesto (Adoniran Barbosa/Alocin), 1953
Agora Pode Chorar (Adoniran Barbosa/José Nicolini), 1936.     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: