Rock & Histórias: De como o Bolero de Ravel teve influência no surgimento do Led Zeppelin

Um dos mais fascinantes episódios da carreira de Jeff Beck, o superguitarrista inglês, falecido em 10 de janeiro de 2023, é a gravação do tema instrumental Beck’s Bolero, em 16 e 17 de maio, num estúdio Londrino. Nesses dois dias, por pouco, o futuro de The Who esteve ameaçado, e o Led Zeppelin poderia não ter existido.

Depois de uma desastrada turnê americana com 33 shows, abortada no sexto, o Yardbirds voltou à Inglaterra. O empresário conseguiu demover Jeff Beck de abandonar a banda, que largou depois de um show no Texas, e viajou para a Califórnia. O empresário Mickie Most. Most era também compositor, e com faro aguçado para o pop, Foi Most que fez The Animals gravar The House of the Rising Sun, um hit em mundial em 1965 (no Brasil também numa versão com Agnaldo Timóteo).

Ambos tentaram manter o Yardbirds junto produzindo projetos paralelos de seus integrantes. Iniciou com Jeff Beck, a quem fez gravar uma canção pop infecciosa, Hi Ho Silver Lining, de melodia quase infantil, de Scott English e Larry Weiss, compositores profissionais. A música chegou a um 14º lugar nas paradas britânicas, o suficiente para engordar a conta do guitarrista, e levá-lo aos principais programas de música pop do país.

Jeff Beck sempre detestou Hi Ho Silver Lining. A exposição que o sucesso lhe deu, ele comparava a andar pela rua com uma tampa de privada cor de rosa no pescoço. O compacto simples realmente é bizarro. No lado A uma canção boba (se bem que a letra é uma alfinetada no otimismo hippie). No B, um tema instrumental sofisticado, inspirado no Bolero de Maurice Ravel, intitulado Beck’s Bolero, e concluída seis meses antes. Para gravá-lo, Jeff Beck convocou um escrete de ouro da música inglesa. Na bateria, Keith Moon, no contrabaixo John Paul Jones (futuro Led Zeppelin), em lugar de John Entwistle, do The Who, que desistiu da empreitada. Nos teclados Nicky Hopkins e numa segunda guitarra Jimmy Page.

Na época, John Entwistle e Keith Moon cogitavam sair do The Who, frustrados porque a maior parte do dinheiro do grupo ia para as contas de Pete Townshend e Roger Daltrey, que compunham as canções do grupo. Foi ciente disso, que Jeff Beck convidou os dois para tocar com ele. Temendo a reação de Pete Townshend e do empresário do Who. Entwistle desistiu. Keith Moon topou, desde que sua participação fosse mantida em segredo.

Beck’s Bolero traria outras confusões. A autoria oficial é de Jimmy Page, mas Jeff Beck garantia que também era dele. Mickie Most assumiu a produção, mas tanto Page quanto Beck dizem que a música foi produzida por eles. O supergrupo Jeff Beck, Jimmy Page, Nicky Hopkins, John Paul Jones e Keith Moon quase se torna perene. Chegaram a gravar mais músicas, que não se sabe que fim levaram.

Quando alguém do grupo sugeriu que fizessem uma turnê com aquele formação, Keith Moon comentou: “Vai cair feito um Zeppelin de chumbo”. Keith Moon fez as pazes com The Who, Jeff Beck começou a montar sua própria banda, com Nicky Hopkins nos teclados, enquanto Jimmy Page e John Paul Jones, logo convidariam dois músicos desconhecidos, Robert Plant e John Bonham, para tocar com eles. Jimmy Page adaptou a frase de Keith Moon para batizar a nova banda: Led Zeppelin

Beck’s Bolero seria uma das faixas mais elogiadas de Truth, álbum de estreia do Jeff Beck Group, de 1968. Ele tocaria o tema ao longo da carreira.    

2 comentários em “Rock & Histórias: De como o Bolero de Ravel teve influência no surgimento do Led Zeppelin

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: