Amazônia sangrando, um libelo musical pela holandesa Millennium Jazz Orchestra, com a cantora brasileira Lilian Veira, inspirado na poesia de Thiago de Mello

A Guernica, obra prima de Pablo Picasso, foi inspirada no bombardeio pelos nazistas à pequena cidade que deu nome a tela. Episódio acontecido em 1937, durante a guerra civil espanhola. Hitler apoiava o futuro ditador fascista Francisco Franco. A Guernica é protesto e denúncia.

A arte retratando o horror é também o caso do álbum Bleeding Amazonia (ZenneZ Records), com a Millennium Jazz Orchestra, com participação da cantora, compositora e instrumentista brasileira Lilian Vieira, que mora desde 1989 na Holanda, de onde é a orquestra, dirigida por Joan Reinders, também compositor da música do disco.
A inspiração do álbum, obviamente é o desmatamento, queimadas e demais ameaças à floresta amazônica. A musica de Bleeding Amazonia é  uma suíte formada por oito temas (incluindo interlúdios), quatro deles baseados em poemas do amazonense Thiago de Melo (1926/2022). Lilian Vieira assina a letra de um dos temas, Climate Changes (Mudanças Climáticas).
Temas com títulos como Desforetation (Desmatamento), Forest Fires (Incêndio Florestais), ou Pollution (Poluição) passam a ideia de um disco cabeça para ser curtido por militantes ambientalistas. Até é assim. Mas a suíte é jazz acessível, suingado, melódico, de diálogos dinâmicos entre instrumentos, com temas instrumentais e canções. Tanto é, que o álbum está sendo bem recebido pelos europeus, mesmo com as letras cantadas em português por Lilian Vieira, contralto de bela voz, quase desconhecida por aqui.
Um disco que só confirma que a Amazonia é brasileira, mas também do mundo, e neste álbum defendida pela Millennium Jazz Orchestra empregando a linguagem universal da música. 

LILIAN

A fluminense, de Teresópolis, Lilian Vieira, está na Holanda desde 1989, e tem um currículo quilométrico de atuação musical no país (é naturalizada holandesa). Participou de dezenas de grupos, nas mais diversas formações, sendo uma das mais recorrentes, o duo com o violonista, também morador da Holanda, Rogério Bicudo. Para cair a ficha dos que não a conhecem, vale lembrar que Lilian integra o Zuco 103, com o alemão Stefan Schimid e o holandês Stefan Kruger, o grupo mescla eletropop, jazz, funk e música brasileira. Os elementos foram bem dosados, e a Zuco 103 se tornou uma bandas mais conhecidas da Holanda, inclusive com passagens elogiadas pelo Brasil, onde alguns discos seus foram lançados.

Lilian Vieira tem atuado com músicos brasileiros, entre os quais Toninho Horta, Roberto Menescal, com o Bossa cuca nova, Wagner Tiso, João Parahyba (Trio Mocotó). Lilian é também professora de jazz no Conservatório de música de Amsterdam. Uma grande divulgadora da música brasileira na Europa, em 2016, Lilian Vieira criou um projeto para tentar mudar estereótipos que se tem no exterior sobre mulheres brasileiras, chamou-se Brasil Beyond de Bundas (O Brasil Além de Bundas).   

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: